ADCOL - Assembleia de Deus em Colubandê

 
  • Increase font size
  • Default font size
  • Decrease font size
Home Notícias ADCol Notícias ADCol - Congregação Água Mineral comemora 33 anos
E-mail Imprimir PDF

A congregação de Água Mineral celebra 33 anos de existência e 6ᵒ Encontro Missionário

Brindando as vitórias

Texto e Fotos: Joel Silva

Verificando os resultados da festividade realizada na Assembleia de Deus na Água Mineral, congregação da ADCOL, pode-se concluir que foram três dias de muitas bênçãos, tendo o Senhor Jesus Cristo falado de maneira poderosa por meio dos seus filhos.

Os obreiros e a liderança local empolgaram-se com a organização dos cultos, onde houve ministração da Palavra, louvores e evangelização com cultos ao ar livre e passeata pelas ruas do bairro na manhã de domingo.
O evento aconteceu nos dias 21 a 23 de outubro, levando fieis de igrejas co-irmãs a participarem com alegria do grande evento que culminou com a reconciliação de algumas pessoas afastadas do Evangelho.


Na noite de sexta-feira pastor Ozias Rodrigues apresentou um breve relatório para a igreja, mostrando no datashow os trabalhos missionários em Senegal e Guiné-Bissau, países situados no Ocidente africano onde a miséria coloca essa comunidade no 5ᵒ do ranking como os países mais pobres do mundo.
Munique, Bruno e Débora, candidatos ao campo missionário a serem enviados à África no próximo ano, também estiveram presentes na abertura do evento. A mensagem ficou sob a responsabilidade de irmã Munique.
Na noite de sábado, segundo dia da festividade, o pastor Edmar Alves Paiva, da matriz, ministrou o tema escolhido que foi: A graça maravilhosa de Deus é uma dádiva para todos (At 11.23).
No dia do encerramento, domingo, 23, os fieis se reuniram na frente do templo pela manhã, com faixas e cartazes, e caminharam até o local marcado para uma grande concentração evangelística pública de fé próximo dali.


À noite, novamente na igreja, houve um culto abençoado com louvores e adoração. A Palavra foi ministrada pelo presbítero Fábio Rodrigues que falou sobre a graça divina.
Durante os 33 anos de existência pela congregação já passaram obreiros que deixaram história na obra do Senhor, começando pelo presbítero Sebastião Guivara, que esteve sob a responsabilidade da igreja desde a fundação do trabalho na residência de Nelson Araujo, em março de 1989,e depois em uma pequena igrejinha no terreno atual, na R. Alameda Antonio Rezende, 7.
O pastor Javan Umbelino Freire conduziu o trabalho de março de 1989 até 1993. Foi neste período que deu-se início à fundação do novo templo.
O pastor Leôncio Soares pastoreou de 1993 até 2003. Foi nesta época que as obras do templo foram concluídas. Depois veio o pastor João Bezerra que ficou um curto período de seis meses, em 2003.
Pastor Edmar Alves também passou por ali em meados de 203 até 2005. Presbítero Almir Souza, de 2005 a 2011, pastor Elias Francisco, de 2011 a 2013, e o atual pastor Joel Silva empossado em 2013.

Última atualização ( Qua, 25 de Outubro de 2017 22:08 )  

Últimas Notícias

O missionário australiano John Short, 75 anos, foi libertado pelas autoridades norte-coreanas na última segunda-feira, 03 de março, após o religioso ter assinado um documento de confissão e pedido de desculpas por evangelizar no país.

Short desembarcou em Pyongyang no mês passado, e foi preso no dia 16 de fevereiro, dia do aniversário do ditador Kim Jong Il, após distribuir panfletos evangelísticos.

Para ser solto, o missionário assinou um documento no qual se retratava por sua atividade missionária: “Eu peço sinceras desculpas pela minha iniciativa de espalhar meus folhetos bíblicos em 16 de fevereiro o aniversário de sua Excelência Kim Jong Il”, dizia o documento de confissão, divulgado pela mídia estatal da Coreia do Norte.

Em outro trecho do documento, o missionário diz que a impressão que se tem do país é errada: “Eu percebo que a mídia dos EUA e os países ocidentais que dizem que a Coreia do Norte é o país fechado e não tem liberdade religiosa é impreciso e errado”, escreveu Short. A emissora KCNA divulgou uma foto do missionário e as páginas da carta escritas à mão, marcadas com suas digitais em tinta vermelha.

As autoridades norte-coreanas disseram que aceitaram deportar o missionário após o pedido de desculpas por conta de sua idade avançada. Ao desembarcar em Pequim, China (foto), o missionário optou por não dar declarações a respeito do episódio, e seguiu para a embaixada australiana na cidade.